negociacaobradesco1_23nov

Representantes do Sindicato negociam as condições de trabalho aos sábados com a direção do banco

Após o Bradesco anunciar que as agências da base de BH e região abririam suas portas em dois sábados, das 8 às 17h, o Sindicato cobrou reunião com o banco para negociar a questão. A mesa foi realizada no dia 23 de novembro, na Diretoria Regional do banco, localizada na Agência Centro, em BH.

Representando os bancários, estiveram presentes os diretores do Sindicato e funcionários do Bradesco, Carlos Augusto Vasconcelos (Mosca), Élcio Chaves, Geraldo Rodrigues, Giovanni Alexandrino, Leonardo Marques e Wander Castro. Já o banco foi representado pelos diretores Regionais Alex Braga e Amadeu Suter Neto.

Em decorrência do “Projeto Fidelize Belo Horizonte”, que visa atender os 60 mil servidores municipais após a contratação do Bradesco para administrar as contas da Prefeitura de Belo Horizonte (PBH), o banco protocolou documento junto à Superintendência Regional do Trabalho e Emprego de Minas Gerais (SRTE-MG) informando sobre a abertura das agências nos dias 26 de novembro e 3 de dezembro (veja documento ao final do texto).

Conforme o documento, nestes dias seriam abertas todas as agências da base de Belo Horizonte e região e todos os funcionários com jornada de oito horas deveriam trabalhar, recebendo a remuneração correspondente, o que totaliza 907 bancários. No documento, o banco também deixou claro que a determinação seguia a legislação vigente.

Além disso, o Bradesco anunciou a abertura das agências também através de meios de comunicação de Belo Horizonte.

Desde o primeiro momento, o Sindicato se posicionou contrariamente à abertura das unidades nos sábados designados e deixou isso claro na negociação realizada no dia 23 de novembro. Com a pressão dos representantes dos trabalhadores, o banco cedeu e foram acordados benefícios para amenizar a situação dos bancários.

Para funcionário do Bradesco e diretor do Sindicato, Carlos Augusto Vasconcelos (Mosca), somente com a pronta intervenção do Sindicato foi possível reverter a decisão do banco de obrigar quase todos os seus funcionários a trabalharem nos sábados. “As condições impostas pelo banco antes da negociação eram muito prejudiciais aos trabalhadores. Já não bastasse a absurda cobrança nos dias de semana, o banco ainda quer que os bancários trabalhem no seu dia de descanso, sendo que o não trabalho aos sábados é uma conquista histórica da categoria. Somente com a força do Sindicato e dos trabalhadores é que conseguimos avançar em melhorias importantes nestes dois finais de semana de trabalho impostos pelo banco”, afirmou.

Confira, a seguir, o que foi garantido pelo Sindicato:

Abertura apenas no dia 26

Durante a negociação, o Sindicato cobrou que o banco não abrisse as agências no sábado 3 de dezembro caso a demanda fosse pequena no dia 26 de novembro. O banco aceitou avaliar a situação e, no dia 1º de dezembro, informou ao Sindicato que a abertura no dia 3 foi cancelada.

Comunicação aos bancários

O Sindicato solicitou que a comunicação do Bradesco aos funcionários seja feita através de um convite, e não de uma convocação, o que significa que os bancários não serão obrigados a comparecer. A cobrança, que foi acatada pelo banco, ocorreu porque vários trabalhadores já tinham compromissos inadiáveis agendados para estes dias.

Agências que serão abertas

Após a cobrança do Sindicato, as agências que abrirão serão somente aquelas que têm mais de 100 contas do “Projeto Fidelize Belo Horizonte” ainda por abrir. As outras estarão fechadas nos dias 26 de novembro e 3 de dezembro.

Funcionários designados

Somente trabalharão nos dois sábados aqueles funcionários que já trabalham com o “Projeto Fidelize Belo Horizonte”, e não todos os trabalhadores com jornada de oito horas como desejava o banco. Nenhum funcionário com jornada de seis horas trabalhará nestes sábados.

Vigilantes

Para garantir a segurança nas unidades que abrirão, os vigilantes destas agências também trabalharão nos dois sábados.

Custos

Todos os custos decorrentes da abertura aos sábados, como pagamento de almoço por exemplo, serão cobertos pelo banco.

Atendimento exclusivo para os servidores municipais

Nas agências que funcionarão nos dois sábados, só será permitida a realização do atendimento relacionado ao “Projeto Fidelize Belo Horizonte”. Todos os outros serviços estão proibidos nestes dias.

Portabilidade

O Sindicato cobrou do Bradesco que retirasse o nome dos funcionários dos formulários de portabilidade utilizados no “Projeto Fidelize”. O nome do bancário responsável pelo atendimento registrado no formulário, estava causando constrangimento em casos em que os servidores municipais preferiam por continuar com sua conta no Banco do Brasil, o antigo administrador das contas da PBH. O banco acatou a solicitação do Sindicato.

Fluxo de atendimento

O Sindicato cobrou ainda do Bradesco que, se no dia 26 de novembro não houver grande fluxo de servidores municipais, as unidades não sejam abertas no sábado 3 de dezembro. O Bradesco se comprometeu a analisar a questão.

Funcionários de outras localidades

Para garantir o atendimento do “Projeto Fidelize”, o Bradesco convocou funcionários de outras localidades e estados para atuar em Belo Horizonte. Porém, apesar de o banco ter afirmado que estes bancários poderiam visitar suas casas de 15 em 15 dias, isto não vinha sendo cumprido.

O Sindicato exigiu que o Bradesco cumpra o que foi acordado e destacou também que aqueles funcionários que já haviam comprado passagens para viajar para casa nos sábados de trabalho impostos pelo banco não deverão trabalhar.

Festas de fim de ano

O Sindicato destacou que as agências que já tinham programado suas festas de fim de ano para os dias 26 de novembro ou 3 de dezembro não deverão abrir, garantindo a realização da confraternização dos trabalhadores.

documentobradesco1_23nov

Compartilhe: